Investigador da UAlg realiza em Macau

Investigador da UAlg realiza em Macau

Pela primeira vez em Macau, os espectadores irão intervir, em tempo real, na narrativa de um filme. Trata- se de produzir o primeiro filme interativo em Macau, onde o espectador é também utilizador, coautor da obra e protagonista. 

O filme chama- se Cadavre Exquis e é da autoria do Investigador Bruno Mendes da Silva, vice-coordenador do Centro de Investigação em Artes e Comunicação (CIAC) e professor da Escola Superior de Educação e Comunicação da Universidade do Algarve (UAlg). A produção é de Maria Paula Monteiro, que, como facilitadora, desenvolveu igualmente uma estratégia integrada de valorização da iniciativa, juntando os parceiros Universidade de S. José, Instituto Cultural de Macau e a Creative Macau, aprimorando atividades perfeitamente integradas, encaixadas e alinhadas com a sua estratégia.  

Trata- se, num ano, da sua segunda aposta para Macau, tendo sido a primeira, o filme sobre a vida e obra de Camilo Pessanha, «PeSanIé - O Poeta de Macau», que entrou já na corrida a festivais.

Segundo Maria Paula Monteiro “ampliar o espaço de desenvolvimento, “nomeadamente em áreas como Arte Digital, Tecnologia e Comunicação associada ao Cinema, em Macau, com o objetivo de pensar o aproveitamento do intercâmbio da produção, dos produtores artísticos e do conhecimento científico nesta área específica, fazem parte do objetivo desta iniciativa”.

A ação, apoiada com financiamento do Instituto Cultural de Macau, inclui uma Master Class na Universidade de S. José, aberta à comunidade, e reúne uma equipa técnica e artística «made in Macau» de 15 pessoas, para a produção do filme interativo, no final do mês de setembro, e ainda a forte possibilidade de concorrer ao Sound &Image Challenge International Short Film Festival 2018.

Para Bruno Mendes da Silva, mentor do projeto e também realizador de Cadavre Exquis “É uma honra ajudar a contribuir para a educação científica em instituições académicas em Macau, que se debruçam sobre a investigação inovadora na área dos estudos artísticos e culturais, o caso da Universidade de S. José.” E prossegue “por outro lado, devo dizer que estou muito entusiasmado com a produção deste filme, o primeiro do género em Macau. É um desafio fantástico para alguém que, como eu, já trabalhou nesta cidade.”

Segundo o realizador, o filme Cadavre Exquis terá 3 versões, a versão convencional para passar em tela nas salas do cinema, a versão interativa que permitirá ao usuário interagir e participar na narrativa. E a terceira versão, trabalhada especificamente para o festival internacional de curtas em dezembro próximo, a Instalação Interativa. “Se tudo correr bem e formos aceites, montaremos esta experiência interativa numa tenda … e o resto é surpresa”, diz ainda o mesmo porta-voz.

O filme, que conta com um guião e a voz-off de Vítor Reia-Baptista, concorrerá a festivais internacionais e será exibido em 2019, em Portugal, em vários espaços expositivos. Todo o projeto encontrar-se-á disponível online na plataforma do CIAC.